Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

escolhe outro

escolhe outro

Perdes a identidade
na penumbra, na ilusão.
Já não sabes a verdade,
não reconheces vontade,
tudo te escapa da mão.

Moves-te como uma engrenagem,
em caminhos já marcados.
Maquina biológica que és,
presa num mundo a teus pés,
pensamentos adiados.

Nessa luz que possuis.
Nesse caminho iluminado.
Resta-te sempre a esperança,
que a vontade de mudança
crie um ser humanizado.

Caminho que não acaba.
Mesmo atingindo essa margem.
É preciso permanecer,
ter força para mover,
trazer outros na viagem.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.