Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

escolhe outro

escolhe outro

As coisas que não se vêem, sobram sempre na imaginação.
São como luzes que do vento são sopradas.
São brisas de ideias que nos chegam em tons de cor.
Depois, no papel se materializam ás ordens da mão.
Assim ficam.
Assim aguardam o contemplar dos olhos.
Olhos deleitados. Olhos cúmplices da cor.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    ide!as 30.03.2009 20:07

    Que dizer? Obrigado e cá fico á espera dessas leituras. Obrigado
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.